Clínica Mult Imagem - Diagnóstico por imagem
Santos: 13 3202-1250   13 98152-0187/98151-1513/99659-5217   Cubatão: 13 3361-7149   Bertioga: 13 3316-4448   Praia Grande: 13 3346-6400   Guarulhos: 11 2414-2136

Dicas de Saúde

Como evitar a arterosclerose?

Publicado em 20/07/2018


É cada vez mais raro para as famílias se reunirem na hora do almoço e comerem pratos saudáveis e balanceados. Refeições rápidas, congelados e lanches dominam a rotina, mas a praticidade trouxe consequências drásticas para a saúde das crianças. O número de crianças hipertensas e com sobrepeso é cada vez maior – o que significa que teremos cada vez mais adultos predispostos à doença aterosclerótica (aterosclerose).

A dieta alimentar é um dos fatores mais importantes no desenvolvimento da aterosclerose, mal que pode afetar o corpo todo e órgãos vitais, como o coração e o cérebro. O gradativo acúmulo de substâncias gordurosas nas artérias, ao longo da vida, pode prejudicar a passagem do sangue, gerando doenças cardiovasculares, infarto do miocárdio, trombose cerebral, entre outras.

“Desde os primeiros anos de vida, os cuidados com a alimentação são de extrema importância para a saúde na fase adulta. É na infância que criamos os hábitos alimentares que evitarão, no futuro, doenças degenerativas causadas pelo entupimento total ou parcial das artérias”, afirma a médica cardiologista Dra. Rita Vianna, com especialização nos EUA, que atua no Centro Médico Vida, de Santa Felicidade, em Curitiba. Segundo a médica, os pais têm papel fundamental nesse processo, uma vez que as crianças tendem a imitá-los. “Ao manter uma dieta saudável, os adultos melhoram sua saúde e resgatam a qualidade de vida, ao mesmo tempo que garantem os mesmos benefícios para seus filhos na maturidade”, adverte a cardiologista.

Segundo a Dra. Rita Vianna, a doença aterosclerótica é, atualmente, a causa mais frequente de infarto do miocárdio em pessoas mais jovens e também a maior causa de morbidade entre as mulheres, superando o câncer de mama. “Estudos mostram que crianças de 7 a 12 anos já apresentam arterosclerose, o que significa prever que serão pacientes de risco na fase adulta, o que é extremamente preocupante. Além disso, as mulheres já se equiparam aos homens na estatística de mortes por infarto do miocárdio”, alerta a cardiologista.

 

Prevenção
A arterosclerose não tem cura, mas sua progressão pode ser controlada ou detida com acompanhamento médico e mudanças no estilo de vida. Por isso, a prevenção é muito importante desde a infância, ainda mais hoje, com as tecnologias para a identificação de marcadores de risco cada vez mais avançadas. “O fator hereditariedade deve sempre ser investigado, mas também acontece de uma criança ser a primeira da família a apresentar a doença, e estar atento a isso é fundamental”, destaca a médica.

“O segredo para envelhecermos bem é a prevenção, porque a doença aterosclerótica se previne, e chegar aos 70 anos com saúde e sem restrições é também uma escolha quando se tem conhecimento de que um estilo de vida saudável é o primeiro passo para evitar a doença”, alerta a especialista.

O exame inicial para diagnosticar a arterosclerose é o exame de sangue de rotina, com dosagem de lipídios e triglicerídeos. Com base nesses resultados, se necessário, a especialista solicita a ecocardiografia para programar o tratamento adequado a cada caso.

 

Criando adultos saudáveis
De acordo com os especialistas, a melhor prevenção para evitar comprometimento arterial é o esclarecimento dos pais e apoio familiar à criança, vigilância contínua, observar as restrições alimentares e praticar atividade física. “Além disso, é fundamental a orientação de uma nutricionista e acompanhamento com médicos endocrinologista e cardiologista pediatra”, alerta Dra. Rita.

Porém, nem sempre a mudança é fácil. “A maioria dos pais quer resolver tudo com um medicamento. Quando orientados sobre a necessidade de dieta, exercícios e apoio familiar, afirmam ser difícil cumprir as ordens médicas, uma vez que os filhos têm dificuldades com as mudanças de hábitos”, relata o médico pediatra Dr. José Roberto Bodachne, que faz parte da equipe do Centro Médico Vida, de Santa Felicidade.

O pediatra recomenda evitar ou diminuir alimentos de origem animal, como carnes, ovos, bacon e leite, e alimentos refinados, como massas e bolos doces. Frutas, legumes e grãos devem ganhar lugar de destaque na alimentação, e o sal e lanches salgados perdem espaço. “É importante insistir também nos exercícios físicos, sendo a natação recomendada por ajudar na diminuição do LDL, o mau colesterol”, acrescenta.

Dr. José Bodachne destaca ainda a necessidade de se resgatar a puericultura tradicional, em que as crianças comiam alimentos frescos e preparados em casa, sem conservantes, colorantes e outros aditivos químicos comuns aos alimentos industrializados. “Os pais devem se conscientizar de que é a partir do nascimento, com o aleitamento materno, e depois com uma alimentação saudável e regrada, que as crianças serão adultos sadios. O erro alimentar é a principal causa de infartos e doenças geriátricas precoces, seguido da falta de atividade física. A profilaxia das doenças cardiovasculares começa no momento em que a criança nasce e é somente a partir dessa conscientização, com o auxílio dos pais e das escolas, que teremos uma próxima geração saudável”, finaliza o médico pediatra.

 

O que é a aterosclerose?
No decorrer da vida, vão se formando no interior das artérias placas compostas por substâncias gordurosas, colesterol, cálcio e resíduos da degradação celular e da coagulação do sangue (fibrina). Com o passar do tempo, essas placas podem obstruir total ou parcialmente uma artéria, impedindo ou diminuindo o fluxo sanguíneo. Além disso, sobre as placas podem se formar coágulos de sangue, chamados de trombos, que, quando se soltam, causam embolias arteriais. No coração, quando isso ocorre, acontece o infarto do miocárdio, e, no cérebro, os derrames cerebrais (AVCs). A gravidade da doença vai depender do calibre da artéria afetada e do local onde ocorreu a obstrução.

A arterosclerose evolui lentamente e, normalmente, suas consequências aparecem em pessoas acima dos 50 anos, embora já seja frequente afetar crianças, adolescentes e jovens, principalmente se apresentarem fatores de risco como hereditariedade, obesidade, diabetes, sedentarismo, tabagismo e uma alimentação rica em gorduras saturadas, trans e açúcares. “Por isso, ter uma alimentação balanceada, parar de fumar, perder peso, e fazer um controle regular da pressão arterial, do colesterol e dos triglicerídeos é fundamental para impedir a progressão da doença”, alerta Dra. Rita.

 

O Centro Médico Vida, de Santa Felicidade, lançou a campanha Cidadão Saúde, dando acesso e facilitando consultas e exames. “Um programa em que a população que não é assistida por planos de saúde pode utilizar para garantir a prevenção de doenças. Dessa forma, iremos monitorar a saúde, principalmente das pessoas que vivem na região de Santa Felicidade, oferecendo prevenção e incentivo à mudança de hábitos”, destaca Rosely Schumack, uma das idealizadoras da campanha. Cuide-se! Prevenir é o melhor remédio.

Fonte: Revista Corpore


Compartilhe: Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no LinkedIn
   

« Voltar

© Copyright Clínica Mult Imagem 2015. Todos os direitos reservados. | Termos de Uso e Política de Privacidade.

Responsável Técnico: Dr. José Carlos Clemente – CRM nº 32.851
Acompanhe-nos: