Clínica Mult Imagem - Diagnóstico por imagem
Santos: 13 3202-1250   13 99659-5217/98151-1513/98152-0187   Cubatão: 13 3361-7149   Bertioga: 13 3316-4448   Praia Grande: 13 3346-6400   Guarulhos: 11 2414-2136

Dicas de Saúde

Herpes

Publicado em 10/01/2012


O que é Herpes simples?

A herpes simples é uma infecção viral que afeta principalmente a área bucal ou genital.

Causas
Existem dois grupos de vírus da herpes simples:
*Vírus da herpes simples tipo 1 (HSV1):Normalmente associado a infecções dos lábios, da boca e da face. Esse é o vírus mais comum de herpes simples e muitas pessoas o desenvolvem na infância. O HSV1 frequentemente causa feridas (lesões) no interior da boca, como aftas, ou infecção do olho (principalmente na conjuntiva e na córnea). Também pode levar a uma infecção no revestimento do cérebro (meningoencefalite). É transmitido através de contato com a saliva infectada. Na vida adulta, cerca de 3090% das pessoas já têm anticorpos contra o HSV1. A probabilidade de infecção na infância é maior dentre aqueles que possuem menor status socioeconômico.
*Vírus da herpes simples 2 (HSV-2): Normalmente transmitido sexualmente. Os sintomas incluem úlceras ou feridas genitais. Entretanto, algumas pessoas com HSV-2 não apresentam sintomas. Até 30% dos adultos nos Estados Unidos possuem anticorpos contra o Herpes do tipo HSV-2. A infecção cruzada dos vírus de herpes do tipo 1 e 2 pode acontecer se houver contato oral-genital. Isto é, pode-se pegar herpes genital na boca ou herpes oral na área genital.Uma infecção no dedo, chamada de panarício herpético, é outra forma de infecção da herpes. Geralmente atinge trabalhadores da área de saúde que foram expostos à saliva durante os procedimentos. Às vezes, crianças também podem pegar essa doença.A herpes pode infectar um feto e causar anormalidades. A mãe infectada pode transmitir o vírus ao recém-nascido em partos vaginais, principalmente se ela tiver uma infecção ativa no momento do parto. Entretanto, 60-80% das infecções por herpes adquiridas por recém-nascidos ocorrem em mulheres que NÃO apresentam sintomas de infecção de herpes ou histórico de infecção de herpes genital.É possível que o vírus seja transmitido mesmo quando não há sintomas ou feridas visíveis. Dois terços das pessoas com a infecção do vírus da herpes têm recorrências dos sintomas, e um terço têm três ou mais recorrências (surtos) por ano.O vírus da herpes nunca é eliminado do organismo, mas permanece adormecido e pode ser ativado, causando sintomas.

Exames
Muitas vezes, os médicos conseguem detectar uma infecção pelo vírus da herpes simplesmente olhando as feridas. Entretanto, certos testes podem ser solicitados para confirmar o diagnóstico. Esses testes incluem:
* Exames de sangue para anticorpos de HSV (sorologia)
* Teste de anticorpo fluorescente direto das células extraídas de uma lesão
*Cultura viral da lesão

Sintomas de Herpes simples
* Aftas ou úlceras geralmente na boca, nos lábios e nas gengivas, ou nas genitais
* Nódulos linfáticos aumentados no pescoço ou na virilha (geralmente somente no momento inicial da infecção)
Herpes de boca
* Febre-- especialmente durante o primeiro episódio
* Lesões genitais -- podem começar com uma sensação de queimação ou formigamento
* Aftas

Buscando ajuda médica
Procure seu médico caso apresente sintomas que lembrem a infecção da herpes. Existem muitas doenças diferentes que podem causar lesões similares à herpes (principalmente na região genital).Se você tiver um histórico de infecção de herpes e desenvolver lesões similares, informe seu médico caso elas não melhorem após 7-10 dias ou caso você sofra de alguma doença que enfraqueça o sistema imunológico.

Tratamento de Herpes simples
Alguns casos de herpes não são graves e não precisam de tratamento.Pessoas que têm surtos graves ou prolongados (principalmente se for o primeiro episódio), que têm problemas no sistema imunológico ou aquelas que têm recorrência frequente se beneficiam de medicamentos antivirais, como aciclovir, famciclovir e valaciclovir.Pacientes com recorrências graves ou frequentes de herpes oral ou genital podem optar por continuar com os medicamentos antivirais para reduzir a frequência e a gravidade dessas recorrências.

Expectativas
As lesões orais ou genitais da herpes costumam curar sozinhas em 7-10 dias. A infecção pode se agravar e durar mais tempo em pessoas que sofrem de alguma doença que enfraquece o sistema imunológico.Saiba maisVacina contra herpes não exclui uso de camisinhaDepois que a infecção ocorre, o vírus da herpes se espalha até as células nervosas e permanece no corpo pelo resto da vida. Pode ressurgir de tempos em tempos e causar sintomas ou surtos de herpes. As recorrências podem ser provocadas por excesso de luz solar, febre, estresse, doença aguda e medicamentos ou doenças que enfraqueçam o sistema imunológico (câncer, HIV/AIDS ou o uso de corticoesteroides, por exemplo).
Complicações possíveis
* Dermatite herpetiforme (herpes espalhada pela pele)
* EncefaliteInfecção do olho -- ceratoconjuntiviteInfecção da traqueia
* Meningite
* Pneumonia
* Infecção prolongada grave em indivíduos imunossuprimidos.

Prevenção
É difícil de prevenir a infecção da herpes, pois o vírus pode ser espalhado mesmo por pessoas que não apresentam sintomas de um surto ativo.Evitar contato direto com uma lesão aberta reduz o risco de infecção.
Pessoas com herpes genital devem evitar contato sexual enquanto houver lesões ativas. A prática de sexo seguro também pode reduzir o risco de infecção - o que inclui o uso do preservativo.As pessoas com lesões da herpes ativas devem evitar, ainda, contato com recém-nascidos, crianças com eczema ou pessoas com sistema imunológico suprimido, pois eles compõem grupos de risco para doenças mais graves.Para minimizar o risco de infectar recém-nascidos, é recomendada a cesariana para gestantes que possuem uma infecção ativa de herpes no momento do parto.

Fonte: Minha Vida


Compartilhe: Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no LinkedIn
   

« Voltar

© Copyright Clínica Mult Imagem 2015. Todos os direitos reservados. | Termos de Uso e Política de Privacidade.

Responsável Técnico: Dr. José Carlos Clemente – CRM nº 32.851
Acompanhe-nos: