Exames
. Ressonância Magnética Aberta e Fechada
. Tomografia Computadorizada Mult Slice
. Cintilografia
. Mamografia Digital
. Mamotomia
. Biópsia de Mama
. Densitometria Óssea
. Medicina Fetal
. Radiologia Digital
. Ultrassonografia
Mamotomia

O que é a Mamotomia?


A mamotomia é um dos métodos não cirúrgicos de aquisição de tecido mamário para biópsia.


Quando a Mamotomia é indicada?


A mamotomia pode ser indicada quando há uma alteração suspeita nas mamas, que necessita de biópsia, ou seja, estudo do tecido por um médico patologista.
Quando o médico nota alguma alteração nas mamas, ele pode, por meio de exames de imagem como a mamografia e o US, ter uma indicação quanto ao caráter dessa alteração, ou seja, se ela é provavelmente benigna, suspeita ou provavelmente maligna.
As lesões malignas (câncer) necessitam ser retiradas através de cirurgia. No caso de uma alteração ser tipicamente maligna, o médico pode optar por partir direto para a cirurgia, não indicando uma biópsia não cirúrgica antes.
Alguns médicos, apesar do aspecto provavelmente maligno da lesão, preferem fazer antes a biópsia não cirúrgica, para que, com o diagnóstico em mãos, possam planejar o tratamento e a cirurgia junto com o paciente.
É nos casos das alterações indeterminadas ou provavelmente benignas que a mamotomia encontra a sua maior indicação, por proporcionar material suficiente para o estudo patológico, sem necessitar de cirurgia ou internação hospitalar e sem deixar cicatrizes.


Como é feita a Mamotomia?


A mamotomia é feita por médico especialmente treinado, em um aparelho especial, acoplado a um mamógrafo, de alta resolução, permitindo a retirada de microcalcificações ou nódulos. Acompanhe passo a passo o procedimento:
- A mama é comprimida para que o tecido fique mais fino e na mesma posição. A compressão é mais fraca e, portanto, menos desconfortável do que na mamografia.
- Há uma pequena janela no compressor, onde a lesão a ser biopsiada é centralizada.
- São obtidas então radiografias computadorizadas da mama, que fornecem as coordenadas do local onde se situa a alteração.
- A pele da região a ser biopsiada é então limpa com anti-séptico.
- Com uma agulha bem fina é feita uma anestesia local, que produz adormecimento instantâneo do lugar a ser biopsiado.
- A partir daí, o procedimento é rápido e indolor.
- Faz-se um pequeno furo com a ponta de um bisturi, através do qual é introduzida a agulha do mamótomo.
- A agulha é posicionada dentro da lesão e, por meio de vácuo, retira vários fragmentos da lesão e da região que a rodeia.
- Esses fragmentos são colocados em frascos e enviados para o laboratório do patologista.
- A agulha é retirada e o procedimento já acabou.
- A paciente coloca uma bolsa de gelo sobre o local da biópsia e fica em repouso por aproximadamente dez minutos, para evitar sangramento e a formação de hematomas.
- É feito um curativo no local do orifício da biópsia.
Os únicos cuidados que são necessários depois da mamotomia são: evitar exercícios físicos e evitar molhar o curativo nas 24 horas que se seguem ao procedimento. Também auxilia na recuperação local aplicar compressas de gelo sobre a mama nas primeiras 24 horas.
As seqüelas possíveis são uma maior sensibilidade local durante um período variável de um a três dias, e hematoma local. No caso de dor, o uso de analgésicos comuns geralmente é suficiente.