Clínica Mult Imagem - Diagnóstico por imagem
Santos: 13 3202-1250   13 99659-5217/98151-1513/98152-0187   Cubatão: 13 3361-7149   Bertioga: 13 3316-4448   Praia Grande: 13 3346-6400   Guarulhos: 11 2414-2136

Dicas de Saúde

Zika pode ser transmitida por mosquito “primo” do Aedes aegypti

Publicado em 25/4/2017


São Paulo – O Aedes aegypti pode não ser mais o único mosquito a transmitir a zika. Um grupo de cientistas encontraram fragmentos de RNA do vírus em amostras de mosquitos Aedes albopictus, conhecidos popularmente como mosquito tigre asiático, coletadas na cidade de Camaçari, na Bahia.

Em maio de 2015, a Organização de Saúde Panamericana divulgou um alerta sobre os primeiros casos de transmissão da zika no Brasil. Um dos estados mais afetados pelo surto foi a Bahia. Em Camaçari, 7.391 casos suspeitos de doença infecciosa como a zika foram relatados, segundo dados de 2016 da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia.

Devido a esses números alarmantes, os especialistas suspeitaram que outras espécies de mosquito poderiam estar envolvidas na transmissão. Até então, o Aedes aegypti era a única espécie conhecida como vetor da zika para seres humanos.

Por isso, no mesmo ano, os pesquisadores coletaram ovos de mosquito encontrados em diversos bairros de Camaçari para estabelecer uma colônia de laboratório. De acordo com o estudo, os ovos coletados forneceram 20 fêmeas e 19 machos adultos de Aedes albopictus. Todos passaram por exames de análise de RNA.

Após repetir os testes quatro vezes em cada amostra, os cientistas encontraram três fêmeas e dois machos do mosquito com indícios do zika. Segundo o estudo, isso significa que as fêmeas coletadas na cidade baiana foram infectadas pela zika e transmitiram fragmentos do vírus para seus descendentes.

Devido a esses números alarmantes, os especialistas suspeitaram que outras espécies de mosquito poderiam estar envolvidas na transmissão. Até então, o Aedes aegypti era a única espécie conhecida como vetor da zika para seres humanos.

Por isso, no mesmo ano, os pesquisadores coletaram ovos de mosquito encontrados em diversos bairros de Camaçari para estabelecer uma colônia de laboratório. De acordo com o estudo, os ovos coletados forneceram 20 fêmeas e 19 machos adultos de Aedes albopictus. Todos passaram por exames de análise de RNA.

Após repetir os testes quatro vezes em cada amostra, os cientistas encontraram três fêmeas e dois machos do mosquito com indícios do zika. Segundo o estudo, isso significa que as fêmeas coletadas na cidade baiana foram infectadas pela zika e transmitiram fragmentos do vírus para seus descendentes.

Fonte: Exame


Compartilhe: Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no LinkedIn
   

« Voltar

© Copyright Clínica Mult Imagem 2015. Todos os direitos reservados. | Termos de Uso e Política de Privacidade.

Responsável Técnico: Dr. José Carlos Clemente – CRM nº 32.851
Acompanhe-nos: