..."> Clínica Mult Imagem - Diagnóstico por imagem
Santos: 13 3202-1250   13 98152-0187/98151-1513/99659-5217   Cubatão: 13 3361-7149   Bertioga: 13 3316-4448   Praia Grande: 13 3346-6400   Guarulhos: 11 2414-2136

Dicas de Saúde

Conhecer seu corpo melhora vida sexual, garantem especialistas

Publicado em 10/06/2011

Toques e carícias ajudam a descobrir novos prazeres e sensações

Fabiana Grillo, do R7

Getty ImagesMulheres que não se masturbam têm mais chances de ter disfunção sexual, diz médica

Provavelmente você já ouviu falar que masturbação reduz o apetite sexual, vicia ou é “coisa de homem”. Mas, segundo a psicóloga e sexóloga Dra. Maria Claudia Lordello, do projeto Afrodite, do Ambulatório de Sexualidade da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), a masturbação deve fazer parte da vida sexual de qualquer indivíduo.

— Mulheres que não se masturbam têm mais chances de ter disfunção sexual. No entanto, a maioria não pratica por pura vergonha. A masturbação é bem-vinda e necessária para uma relação sexual de qualidade.

No caso dos homens, a masturbação pode prevenir o câncer de próstata, ressalta o urologista Dr. Renato Fraietta, médico-assistente da disciplina de Urologia e coordenador do setor de Reprodução Humana da Unifesp.

— Na literatura médica, existe relato de diminuição do risco de câncer de próstata com o hábito da masturbação. O ato faz parte do desenvolvimento hormonal e sexual do indivíduo e não causa falta de espermatozoides.

Atenção: falta de limpeza pode causar câncer de pênis

A psicóloga e sexóloga Dra. Carla Cecarello, coordenadora do projeto Ambex, informa que acariciar os órgãos genitais não deve ser visto como uma prática feia ou pervertida, especialmente pelas mulheres.

— A masturbação contribui para o indivíduo conhecer seu próprio corpo e descobrir os pontos de prazer, aumentando a satisfação sexual e a intimidade entre o casal. A prática é, inclusive, uma orientação médica para mulheres que nunca tiveram orgasmos.

Higiene íntima: veja 10 dicas para o sexo feminino

Segundo as especialistas, masturbar-se de uma a três vezes por dia é considerado normal, principalmente na fase da adolescência quando há uma “explosão de hormônios”. O sinal vermelho só deve acender, alerta Carla, quando a pessoa só faz isso ou abre mão da relação a dois.

— Nesse caso, estamos falando de compulsão sexual, doença que precisa ser controlada com remédio e terapia.

Sexo pode ser considerado atividade física

Objetos eróticos

Apesar de a masturbação ser recomendada pelos especialistas, a sexóloga Maria Claudia adverte que a pessoa não pode se condicionar somente a isso. O segredo, diz ela, é “variar os tipos de estímulos e soltar a imaginação”.

Para quem gosta de usar acessórios, a orientação é sempre manter a higiene e tomar cuidado para não machucar a região genital ou provocar infecções. A prática também estimula a criação de fantasias e não precisa envolver apenas a genitália.

— O importante é sentir o corpo como fonte de prazer. Ao contrário do que muitos pensam, o ato não reduz o apetite sexual, pelo contrário, até estimula.

Fonte: R7


Compartilhe: Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no LinkedIn
   

« Voltar

© Copyright Clínica Mult Imagem 2015. Todos os direitos reservados. | Termos de Uso e Política de Privacidade.

Responsável Técnico: Dr. José Carlos Clemente – CRM nº 32.851
Acompanhe-nos: