Clínica Mult Imagem - Diagnóstico por imagem
Santos: 13 3202-1250   13 98152-0187/98151-1513/99659-5217   Cubatão: 13 3361-7149   Bertioga: 13 3316-4448   Praia Grande: 13 3346-6400   Guarulhos: 11 2414-2136

Dicas de Saúde

Jurados são mais propensos a condenar 'gordinhas', diz estudo

Publicado em 20/07/2011

Homens tendem a considerar mulheres acima do peso como reincidentes e psicólogos de Yale, nos EUA, avaliaram influências na decisão do júri.

Do G1, em São Paulo

#obesidade (Foto: Finbarr O'Reilly/Reuters)Mulheres obesas sofrem mais preconceito que
homens, diz estudo (Foto: Finbarr O'Reilly/Reuters)

Um estudo feito por psicólogos da Universidade de Yale, nos EUA, aponta que jurados homens em um tribunal são mais propensos a condenar uma mulher se ela estiver acima do peso.

O artigo, intitulado "A influência do peso do réu na percepção de culpa", foi publicado na edição online da revista científica "International Journal of Obesity" deste mês.

A pesquisa revela ainda que os jurados do sexo masculino são mais suscetíveis a acreditar que uma mulher com sobrepeso ou obesa é reincidente e mal-intencionada.

Os pesquisadores reuniram um grupo de 471 pessoas de ambos os sexos e com diferentes pesos. Ao grupo, foi descrito um caso de fraude bancária, envolvendo um cheque. Em seguida, os psicólogos deram aos participantes uma fotografia, entre quatro imagens selecionadas (de um homem gordo, um homem magro, uma mulher gorda e uma mulher magra) e identificaram o indivíduo na fotografia como sendo o réu ou a ré.

Os voluntários classificaram a suposta culpa daquelas pessoas em uma escala de cinco pontos. Os resultados indicam que nenhum fator relacionado à gordura esteve presente na decisão quando as juradas mulheres avaliaram as rés do sexo feminino, ou quando homens e mulheres avaliaram a culpa dos réus masculinos.

Mas, quando os jurados homens avaliaram a culpabilidade das mulheres, o viés físico pesou na decisão na maioria absoluta dos casos, aponta o estudo. Os participantes magros foram ainda mais rigorosos, frequentemente rotulando as rés com sobrepeso como reincidentes e "cientes" de seus crimes.

O trabalho também destaca que o resultado sinaliza a necessidade de uma maior conscientização sobre a escolha dos jurados em um tribunal.

"Como os indivíduos obesos são objeto de discriminação durante um julgamento, são necessárias ações para educar os jurados sobre essa forma de preconceito e, potencialmente, eliminar pessoas tendenciosas quando o réu for visivelmente obeso", destacam os autores.

Homens tendem a considerar mulheres acima do peso como reincidentes. Psicólogos de Yale, nos EUA, avaliaram influências na decisão do júri. Do G1, em São Paulo 1 comentário Mulheres obesas sofrem mais preconceito que homens, diz estudo (Foto: Finbarr O'Reilly/Reuters) Um estudo feito por psicólogos da Universidade de Yale, nos EUA, aponta que jurados homens em um tribunal são mais propensos a condenar uma mulher se ela estiver acima do peso. O artigo, intitulado "A influência do peso do réu na percepção de culpa", foi publicado na edição online da revista científica "International Journal of Obesity" deste mês. A pesquisa revela ainda que os jurados do sexo masculino são mais suscetíveis a acreditar que uma mulher com sobrepeso ou obesa é reincidente e mal-intencionada. Os pesquisadores reuniram um grupo de 471 pessoas de ambos os sexos e com diferentes pesos. Ao grupo, foi descrito um caso de fraude bancária, envolvendo um cheque. Em seguida, os psicólogos deram aos participantes uma fotografia, entre quatro imagens selecionadas (de um homem gordo, um homem magro, uma mulher gorda e uma mulher magra) e identificaram o indivíduo na fotografia como sendo o réu ou a ré. Saiba maisCampanha da Coca-Cola vai abordar problema da obesidade nos EUA Mulheres com enxaqueca com aura têm maior risco cardíaco, diz estudo Os voluntários classificaram a suposta culpa daquelas pessoas em uma escala de cinco pontos. Os resultados indicam que nenhum fator relacionado à gordura esteve presente na decisão quando as juradas mulheres avaliaram as rés do sexo feminino, ou quando homens e mulheres avaliaram a culpa dos réus masculinos. Mas, quando os jurados homens avaliaram a culpabilidade das mulheres, o viés físico pesou na decisão na maioria absoluta dos casos, aponta o estudo. Os participantes magros foram ainda mais rigorosos, frequentemente rotulando as rés com sobrepeso como reincidentes e "cientes" de seus crimes. O trabalho também destaca que o resultado sinaliza a necessidade de uma maior conscientização sobre a escolha dos jurados em um tribunal. "Como os indivíduos obesos são objeto de discriminação durante um julgamento, são necessárias ações para educar os jurados sobre essa forma de preconceito e, potencialmente, eliminar pessoas tendenciosas quando o réu for visivelmente obeso", destacam os autores.

Fonte: G1


Compartilhe: Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter Compartilhe no LinkedIn
   

« Voltar

© Copyright Clínica Mult Imagem 2015. Todos os direitos reservados. | Termos de Uso e Política de Privacidade.

Responsável Técnico: Dr. José Carlos Clemente – CRM nº 32.851
Acompanhe-nos: